SE INSCREVA Na nossa newsletter

All rights reserved to Larissa Vaiano Moleti | Website developed by Larissa Vaiano

O PODER DA GRAVATA - LARISSA VAIANO MOLETI - CPF: 368.382.628-27 - Sâo Paulo - SP - CEP: 03357-050 - Brasil

ANTES DE MAIS NADA

19.03.2018

 

Talvez você tenha percebido que eu dei uma boa sumida. Ou talvez não. Mas, ainda assim, vou te contar um segredo: escrever é, para mim, uma forma de revelar a alma. E, não vou mentir, a minha andava machucada.

 

Engraçado como contar isso aqui parece uma daquelas confissões misteriosas de filme antigo - quase como se eu estivesse contando para um padre, em uma capela escura e sombria: padre, eu pequei. 

 

Por que?

 

De onde foi que tiramos essa ideia de que precisamos estar felizes o tempo todo? A vida segue fora e dentro da gente e, muitas vezes, a gente deixa ela passar. A gente engole seco, dá uma risada, finge que vê graça onde não vê. E tenta nem pensar, tenta nem chorar, tenta, tenta, tenta, tenta ser o que não é.

 

Para quem?

 

Venho (re) percebendo que esse não é o caminho. Aqui dentro, também tem um lado florido que aparece quando olho as minhas cicatrizes com carinho. Quando consigo baixar a guarda e aceitar tudo o que é.

 

TUDO o que é.

 

Ontem à noite, um grupo de meninos acordou todo mundo aqui no meu prédio. Já tinha passado da meia noite quando resolveram ligar o som, bem alto, bem chato, bem putz-putz. Mesmo morando no sexto andar, parecia que uma balada tinha caído aqui, dentro da minha casa.

 

Minha primeira reação, obviamente, foi ficar irritada.

 

Respirei. Suspirei. Respirei.

Alimentar meu lado florido é aceitar tudo aquilo que eu não quero que seja.

Um vizinho, na tentativa de parar o som, gritou.

 

Para que?

 

Sei que aquele grupo de meninos desrespeitou a lei do silêncio e que é nosso direito – e dever - fazer alguma coisa. Mas, na tentativa de conseguir silêncio, a gente grita?

 

Reação-atrás-de-reação. Na tentativa de obter respostas, a gente tenta controlar a vida. Na tentativa de ser feliz, a gente se engana. E, na tentativa de sentir paz, a gente se irrita com nossas lutas.

 

(Depois de tudo isso, a gente ainda acha que é inteligente).

 

Quem somos nós para tentar controlar a vida?

 

Antes de mais nada...

 

Quem somos nós?

 

*Photo by Maranatha Pizarras on Unsplash

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

JÁ VIU OS ÚLTIMOS VÍDEOS?